Histórias…

Histórias…

Na academia. Esteira com monitor, e mais, com bons canais disponíveis > sem dúvida, um dos fatores que influenciaram na escolha da academia que frequento. Sei que o ideal é estar concentrada no exercício, sem distrações, mas fazer 30 minutos de caminhada, em um ambiente fechado, não me anima muito, preciso de um monitor na minha frente.

Hoje era dia, tinha tempo, precisava dar uma queimada básica em algumas calorias gostosas que eu adicionei ontem ao meu perfil. Seleciono a esteira que fica embaixo do ar condicionado, conecto meus fones de ouvido e começo a procurar alguma coisa para assistir. Um filme vai começar no HBO, já sou chegada nesse canal, passa uns seriados que costumo batizar de – desliga cérebros – que gosto muito! Aguardo o início para decidir “… se permaneço ou me desfaço, não sei, não sei. Não sei se fico ou passo” (não resisti à lembrança da poesia maravilhosa de Cecília Meireles).

Continuando…

Estava começando – Nascidos das Cinzas – um documentário que narra a história da equipe nacional de ciclismo de Ruanda, um grupo de sobreviventes do genocídio que se transforma no símbolo de esperança para o seu país em competições internacionais. 

nascido-das-cinzas

Pronto! Quem disse que eu queria parar de ver?

Existem presentes que nos são dados em alguns momentos que merecem ser apreciados com atenção! Uma história real, humana, dolorida, inspiradora, que precisa ser conhecida, espalhada, contada, disseminada. Quanto sangue já foi derramado, quanta atrocidade! Como somos humanamente capazes de atos tão desumanos, mas como temos também uma capacidade maravilhosa de superação! Como as escolhas individuais impactam, sim, na vida de muitos > positiva ou negativamente.

– Resumindo…

Moro perto da academia, depois de mais de 40 minutos de exercício, fui correndo para casa acompanhar o resto do filme e, no final, meu coração me propôs como tarefa extra para o dia de hoje, convidar mais gente para assistir. O que estou fazendo agora: Assista!

Conhecer essa e outras histórias que nossa espécie escreveu com suor e sangue,  ajuda a cultivar a nossa humanidade. Estamos precisando muito disso.

Para finalizar…

Pego carona, de novo, em “Motivo” de Cecília Meireles: Sei que um dia estarei muda > mais nada. Mas enquanto isso não acontecer, sigo conhecendo com o coração – histórias – desse humano ser que somos, e te convido a fazer o mesmo.

 

Quem sou!

Um ser que gosta muito do humano, que busca aprofundar conhecimentos em áreas estratégicas e que tem força para mexer com gente: Psicologia, Comunicação, Marketing, Coaching.

0 Comentários

Envie uma Resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

Fazer login com suas credenciais

Esqueceu sua senha?